domingo, janeiro 27, 2008

Égua moribunda e mais dez cavalos ao abandono em Leiria


O alerta foi dado ontem à tarde, por uma moradora dos Marrazes, Leiria, à Associação Zoófila (que acompanha os casos de animais abandonados e maltratados) num terreno, junto a uma urbanização onde residem centenas de pessoas, uma égua luta, há três dias, entre a vida e a morte. O animal, juntamente com outros dez da mesma espécie, estará ao abandono, evidenciando sinais de desnutrição e doença. Os moradores contam que, há cerca de um mês, morreu ali um cavalo em circunstâncias idênticas. A GNR foi chamada ao local, mas só ao final da tarde conseguiu contactar com o proprietário que terá alegado não saber o que se passava. Durante a tarde ninguém conseguiu contactar com o veterinário municipal. Maria dos Anjos Vieira, responsável da Associação, deixou o local, ao início da noite, convicta de que a égua não tem hipótese de ser salva. "Isto é horroroso. O abandono a que estão votados estes animais é revoltante", considerou. Quando chegou junto do terreno e se apercebeu de que os animais estavam famintos, Maria dos Anjos comprou comida, arranjou água e, depois de avisar a GNR sobre o caso, entrou pelo terreno e deu de comer aos cavalos."A guarda alertou-me que estava a invadir propriedade privada, mas não posso deixar morrer de fome e sede estes animais", afirmou, frisando que "se não forem tomadas medidas, muitos deles vão acabar também por morrer". A sua grande preocupação era a égua que, a um canto, agonizava em dores. "Ela está ferida de tanto se arrastar pelo chão, possivelmente devido às dores que terá", contou. Durante a tarde, a equipa da GNR que se deslocou ao terreno, tentou localizar o proprietário que, só ao início da noite foi identificado. O homem terá informado as autoridades que desconhecia o que se passava. Acorreu ao local e tentou ajudar o animal, comprometendo-se a contactar com o veterinário municipal para que fosse observar os animais. Vários moradores da zona acorreram a ver o que se passava, contando que a situação se arrastará há alguns meses. Pessoas não denunciam"É inacreditável que as pessoas que vivem aqui e que presenciam isto diariamente nunca tenham dado qualquer alerta aos responsáveis", considerou Maria dos Anjos. Responsável pela associação há cerca de nove anos, a mulher sublinha que "infelizmente, este não é caso único e raramente as pessoas que assistem a estas coisas tomam a iniciativa de as denunciar". Ao longo dos anos, a associação tem procurado salvar do abandono e maltratos diversos animais, sobretudo cães. " in "Jornal de Notícias", 27/01/2008

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

É verdadeiramente lamentável o que está a acontecer a estes e outros animais. Quantas pessoas gostariam de ter um cavalo e que o tratariam bem, e nao o têm porque o seu valor de aquisiação é na maior parte das vezes muito elevado e especulado pelos criadores e negociantes de cavalos. Se o proprietário nao tem condicões para sustentar 10 animais, então que reduza a sua manada á um ou dois e que zele bem por estes. Sei que por causa da crise financeira por que Portugal passa actualmente, muito contribui para que estes casos ocorram. E nao é só em Portugal. Ainda na semana passada li num site da especialiade equestre, que nos EUA, muitos cavalos foram colocados ao abandono por parte dos proprietários pelo facto destes não terem dinheiro para os sustentar. Parabéns a quem denuncia estas lastimáveis realidades, pois é uma forma de contribuirmos para uma efectiva protecção dos nossos "fieis amigos", e lutarmos por um mundo cada vez mais digno, saudável e humano. Afinal de contas... nos nossos dias até muito se fala de Hipoterapia...

11:25 da tarde  
Blogger Margarida said...

Gostava de saber em que pé ficou esta situação. Se sabem o que aconteceu ao resto dos animais e se, de facto, o veterinário chegou a ir à propriedade para acabar com o sofrimento da pobre égua. Era fazer exactamente o mesmo ao "donos". deixá-lo ao abandono num monte qualquer, sem água nem comida...

4:09 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home